Educação em saúde e espiritualidade: uma proposta de transversalidade na perspectiva do estudante

Alberto Gorayeb de Carvalho Ferreira, Janaíne Aline Camargo de Oliveira, Arturo de Pádua Walfrido Jordán

Resumo


Introdução: Frente ao desafio de aprimorar o cuidado do ser humano, respeitando-o como um ser integral como proposto pelas Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Graduação em Medicina, inúmeras instituições de ensino têm incluído atividades voltadas à inclusão da espiritualidade como componente do ensino em saúde, o que já é uma realidade em 40,0% dos cursos de graduação em medicina do Brasil. Objetivos: Objetivou-se descrever a perspectiva dos estudantes dos quatro primeiros anos do curso de medicina da Faculdade Pernambucana de Saúde a respeito do Módulo Transversal de Saúde e Espiritualidade, bem como descrever a abordagem deste eixo-temático ao longo da formação acadêmica e avaliar as suas dimensões espirituais e religiosas. Métodos: Realizou-se um estudo transversal a partir de preenchimento de questionário semi-estruturado e autoaplicável. Resultados: A aceitação do Módulo Transversal de Saúde e Espiritualidade foi considerada bastante satisfatória. Mais de 80,0% dos estudantes participantes conceituaram o módulo como ‘bom’ ou ‘muito bom’ e a quase totalidade dos mesmos (96,30%) referiu que a participação no módulo lhe trouxe contribuições aplicáveis a sua prática médica futura. Entretanto, uma minoria relatou que a temática já tinha sido abordada pelos tutores ao longo do curso. Para 51,10% dos estudantes que se sentiam desencorajados a abordar a espiritualidade no cuidado com o paciente, a falta de treinamento prático seria o principal entrave. Conclusão: Portanto, a transversalidade, como proposta pelo módulo, surge como uma alternativa viável ao facilitar a inserção do contingente de espiritualidade nas práticas educacionais em saúde de forma articulada com os demais componentes da grade curricular geral dos cursos de graduação em saúde.


Palavras-chave


Espiritualidade, Educação médica, Ensino em saúde.

Texto completo:

PDF

Referências


Brasil. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação, Câmara de Educação Superior. Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Graduação em Medicina. Resolução CNE/CES 4/2001. Brasília; 2001.

Puchalski C, Ferrell B, Virani R, et al. Improving the quality of spiritual care as a dimension of palliative care: the report of the Consensus Conference. J Palliat Med. 2009;12(10):885-904. PMid:19807235. http://dx.doi.org/10.1089/jpm.2009.0142.

King MB, Koenig HG. Conceptualising spirituality for medical research and health service provision. BMC Health Serv Res. 2009;9(1):116. PMid:19594903. http://dx.doi.org/10.1186/1472-6963-9-116.

Culliford L. Spirituality and clinical care. BMJ. 2002;325(7378):1434-5. PMid:12493652. http://dx.doi.org/10.1136/bmj.325.7378.1434.

Koenig HG, Idler E, Kasl S, et al. Religion, spirituality, and medicine: a rebuttal to skeptics. Int J Psychiatry Med. 1999;29(2):123-31. PMid:10587810. http://dx.doi.org/10.2190/C2FB-95VW-FKYD-C8RV.

Balint M. O medico, o paciente e sua doença. São Paulo: Atheneu Rio; 2005.

Dal-Farra RA, Geremia C. Educação em Saúde e espiritualidade: proposições metodológicas. Rev Bras Educ Med. 2010;34(4):587-97. http://dx.doi.org/10.1590/S0100-55022010000400015.

Fortin AH 6th, Barnett KG. Medical school curricula in spirituality and medicine. JAMA. 2004;291(23):2883. PMid:15199044. http://dx.doi.org/10.1001/jama.291.23.2883.

Lo B, Quill T, Tulsky J. Discussing palliative care with patients. ACP-ASIM End-of-Life Care Consensus Panel. American College of Physicians–American Society of Internal Medicine. Ann Intern Med. 1999;130(9):744-9. PMid:10357694.

Joint Commission. Spiritual assessment. 2015 [citado em 2015 Dez 1]. Disponível em: http://www.jointcommission.org/standards_information/jcfaqdetails.aspx?StandardsF AQId=290&StandardsFAQChapterId=93

Almeida MJ. Educação médica e saúde: possibilidade de mudança. Rio de Janeiro: ABEM; 1999.

Lucchetti G, Lucchetti AL, Espinha DC, de Oliveira LR, Leite JR, Koenig HG. Spirituality and health in the curricula of medical schools in Brazil. BMC Med Educ. 2012;12(1):1-7. PMid:22900476. http://dx.doi.org/10.1186/1472-6920-12-78.

Puchalski CM. Spirituality and medicine: curricula in medical education. J Cancer Educ. 2006;21(1):14-8. PMid:16918282. http://dx.doi.org/10.1207/s15430154jce2101_6.

Puchalski CM, Blatt B, Kogan M, Butler A. Spirituality and health: the development of a field. Acad Med. 2014;89(1):1-7.PMid:24280839. http://dx.doi.org/10.1097/ACM.0000000000000083.

Association of American Medical Colleges – AAMC. Report III: Contemporary Issues in Medicine: Communication in Medicine. Medical School Objectives Project (MSOP). Washington: Association of American Medical Colleges; 1999 [citado em 2015 Dez 2]. Disponível em: https://members.aamc.org/eweb/upload/Contemporary%20 Issues%20In%20Med%20Commun%20in%20Medicine%20Report%20III%20.pdf

Freire P. Extensão ou Comunicação. Rio de Janeiro; Paz e Terra; 1977.

Agência EducaBrasil. Dicionário Interativo da Educação Brasileira. 2015 [citado em 2015 Dez]. Disponível em: http://www.educabrasil.com.br/eb/dic/diciona-rio.asp?id=70

Burguess AW, McGregor DM, Mellis CM. Applying established Guidelines to team-based learning programs in medical schools: a systematic review. Acad Med. 2014;19:1-11.

Puchalski C, Romer AL. Taking a spiritual history allows clinicians to understand patients more fully. J Palliat Med. 2000;3(1):129-37. PMid:15859737. http://dx.doi.org/10.1089/jpm.2000.3.129.

Gonçalves AMS, Pillon SC. Adaptação transcultural e avaliação da consistência interna da versão em português da Spirituality Self Rating Scale (SSRS). Rev Psiq Clín. 2009;36:10-5.

Lucchetti G, Granero Lucchetti AL, Peres MF, Leão FC, Moreira-Almeida A, Koenig HG. Validation of the Duke Religion Index: DUREL (Portuguese version). J Relig Health. 2012;51(2):579-86. PMid:21107911.

Culliford L. Teaching spirituality and health care to third year medical students. Clin Teach. 2009;6(1):22-7. http://dx.doi.org/10.1111/j.1743-498X.2008.00259.x.

Rios IC. Humanidades e medicina: razão e sensibilidade na formação médica. Cien Saude Colet. 2010;15(Supl 1):1725-32. PMid:20640334. http://dx.doi.org/10.1590/S1413-81232010000700084.

Rios IC, Lopes Junior A, Kaufman A, Vieira JE, Scanavino MT, Oliveira RA. A integração das disciplinas de humanidades médicas na Faculdade de Medicina da USP: um caminho para o ensino. Rev Bras Educ Med. 2008;32(1):112-21. http://dx.doi.org/10.1590/S0100-55022008000100015.

Feldstein CBD, Grudzen M, Johnson A, LeBaron S. Integrating spirituality and culture with end-of-life care in medical education. Clin Gerontol. 2008;31(4):71-82. http://dx.doi.org/10.1080/07317110801947185.

Anandarajah G, Mitchell MA. Spirituality and medicine elective for senior medical students: 4 years’ experience, evaluation, and expansion to the family medicine residency. Fam Med. 2007;39(5):313-5. PMid:17476601.

Musick D, Cheever T, Quinlivan S, Nora L. Spirituality in medicine: a comparison of medical students’ attitudes and clinical performance. Acad Psychiatry. 2003;27(2):67-73.

McKee DD, Chappel JN. Spirituality and medical practice. J Fam Pract. 1992;35(2):201-8. PMid:1645114.

Mariotti L, Lucchetti G, Dantas M, Banin V, Fumelli F, Padula N. Spirituality and medicine: views and opinions of teachers in a Brazilian medical school. Med Teach. 2011;33(4):339-40. PMid:21591292.

Galanter M, Dermatis H, Bunt G, Williams C, Trujillo M, Steinke P. Assessment of spirituality and its relevance to addiction treatment. J Subst Abuse Treat. 2007;33(3):257-63. PMid:17574800. http://dx.doi.org/10.1016/j.jsat.2006.06.014.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


IJHE é uma Publicação do Programa de Pós-Graduação Ensino em Saúde na Amazônia, Belém, Pará, Brasil