Monitoramento do Programa de Controle da Hanseníase em uma unidade de saúde

Alace da Silva Peres, Amanda Figueiredo de Aquino, Bruna Correa de Mira, Hellen Silva Rocha, Karine Martins da Cruz, Paula Carolina Lima de Aviz, Ana Caroline Souza Martins, Antônia Margareth Moita Sá

Resumo


Objetivo: Este estudo teve como objetivo analisar as atividades de monitoramento das ações de controle da Hanseníase desenvolvidas durante o período de 2010 a 2014, em um Centro de Saúde Escola de Belém, Pará, Brasil.

Método: Trata-se de uma pesquisa operacional de abordagem quantitativa descritiva. A coleta de dados foi realizada por meio da análise dos livros de registro, prontuários, fichas individuais e de notificação dos casos. A amostra foi composta de 127 casos notificados e os dados foram obtidos por meio de um instrumento estruturado de coleta de informações. Para análise dos dados utilizou-se indicadores operacionais recomendados pelo Ministério da Saúde.

Resultados: A doença predomina no sexo masculino (56,7%), entre 16 e 59 anos (81,9%), com baixo nível de escolaridade (85,1%), o modo de detecção de caso novo por encaminhamento (66,1%), diagnóstico laboratorial (51,2%), forma clínica Tuberculóide (42,5%), classificação operacional Multibacilar (53,5%), revelando diagnóstico tardio, avaliação do grau de incapacidade física em 93% dos casos no início do tratamento, porém 62,2% não foram avaliados na alta e percentual de cura de 87,8%. Conclusões: O estudo evidenciou que a unidade de saúde apresentou diferentes graus de desempenho em suas atividades de controle da doença. Portanto, a pesquisa operacional mostrou-se como um componente essencial para se conhecer a eficiência e eficácia do Programa de Controle da Hanseníase.


Palavras-chave


Monitoramento, Hanseníase, Indicadores, Saúde Pública.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


IJHE é uma Publicação do Programa de Pós-Graduação Ensino em Saúde na Amazônia, Belém, Pará, Brasil