Concepções sobre espiritualidade: programas de provimento de médicos no Cariri Cearense

Arthur Fernandes da Silva, Aline Quental Brasil, Ana Carolina Duarte de Oliveira, Juliana Fontes Freire, José Maurício Pereira Lopes, Suziy de Matos Bandeira, Sandra Barreto Fernandes da Silva

Resumo


Pesquisas que investigam a relação entre saúde e espiritualidade têm crescido de forma expressiva nos últimos anos. No domínio da Atenção Primária à Saúde e Medicina de
Família e Comunidade, especificamente, existe uma carência de estudos no Brasil e no mundo. O conhecimento aprofundado sobre o entendimento do profissional que atua na APS sobre espiritualidade e saúde, bem como suas estratégias para abordagem do tema junto à pessoa e comunidade, pode catalisar a formulação de políticas públicas de saúde de nível nacional. Objetivo: Este estudo conhecer as concepções de Espiritualidade de médicos vinculados ao PROVAB e PMMB na região do Cariri cearense. Métodos: Adotada técnica de estudo analítico, observacional, transversal, com aplicação de questionário semi-estruturado autoaplicável. Resultados: A maior parte dos entrevistados crê em uma influência positiva da espiritualidade na saúde da pessoa, porém elenca fatores como falta de tempo e de treinamento para justificar a diminuta abordagem em sua prática clínica. Conclusões: Reformulação curricular para a inclusão do estudo da espiritualidade durante a graduação e estruturação de políticas de educação continuada para os profissionais de saúde que inclua tal temática são dois grandes eixos que merecem investimento para fortalecer a educação e atenção integral à saúde da pessoa.


Palavras-chave


Espiritualidade. Educação médica. Atenção Primária à Saúde. Educação em saúde. Saúde integral.

Texto completo:

PDF

Referências


Moreira-Almeida A. Spirituality and health: past and future of a controversial and challenging relationship. Rev Psiquiatr Clín. 2007;34(Suppl. 1):3-4. http://dx.doi.org/10.1590/S0101-60832007000700001.

Dal-Farra RA, Geremia C. Educação em saúde e espiritualidade: proposições metodológicas. Rev Bras Educ Med. 2010;34(4):587-97. http://dx.doi.org/10.1590/S0100-55022010000400015.

World Health Organization (WHO) [Internet]. Amendments to the Constitution. Geneva: WHO; 1999. [citado em 2016 outubro 15]. Disponível em: http://apps.who.int/gb/archive/pdf_files/WHA52/ew24.pdf

Puchalski CM, Ferrell B, Virani R, Otis-Green S, Baird P, Bull J, et al. Improving the quality of spiritual care as a dimension of palliative care: the report of the consensus conference. J Palliat Med. 2009;12(10):885-904. http://dx.doi.org/10.1089/ jpm.2009.0142. PMid:19807235.

Vasconcelos EM. Espiritualidade na educação popular em saúde. Cad Cedes [Internet]. 2009 [citado em 2016 outubro 15];29(79):323-34. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ccedes/v29n79/03.pdf

Puchalski CM. Honoring the sacred in medicine: spirituality as an essential element of patient-centered care. J Med Person. 2008;6(3):113-7.

Lucchetti G, Oliveira LR, Koenig HG, Leite JR, Lucchetti AL. Medical students, spirituality and religiosity-results from the multicenter study SBRAME. BMC Med Educ. 2013;13:162. http://dx.doi.org/10.1186/1472-6920-13-162. PMid:24314327.

Gonçalves MAS, Pillon SC. Adaptação transcultural e avaliação da consistência interna da versão em português da Spirituality Self Rating Scale (SSRS). Rev Psiq Clin. 2009;36(1):10-5.

Lucchetti G, Granero AL, Bassi RM, Latorraca R, Nacif SAP. Espiritualidade na prática clínica: o que o clínico deve saber? Rev Bras Clin Med [Internet]. 2010 [citado em 2016 outubro 15];8(2):154-8. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rpc/ v36n1/a02v36n1

Curlin FA, Sellergren SA, Lantos JD, Chin MH. Physicians’ observations and interpretations of the influence of religion and spirituality on health. Arch Intern Med. 2007;167(7):649-54. http://dx.doi.org/10.1001/archinte.167.7.649. PMid:17420422.

Monroe MH, Bynum D, Susi B, Phifer N, Schultz L, Franco M, et al. Primary care physician preferences regarding spiritual behavior in medical practice. Arch Intern Med. 2003;163(22):2751-6. http://dx.doi.org/10.1001/archinte.163.22.2751. PMid:14662629.

Puchalski C, Romer AL. Taking a spiritual history allows clinicians to understand patients more fully. J Palliat Med. 2000;3(1):129-37. http://dx.doi.org/10.1089/jpm.2000.3.129. PMid:15859737.

Lucchetti G, de Oliveira LR, Leite JR, Lucchetti AL. Medical students and controversial ethical issues: results from the multicenter study SBRAME. BMC Med Ethics. 2014;15(1):85. http://dx.doi.org/10.1186/1472-6939-15-85. PMid:25511565.

Lucchetti G, Lucchetti AL, Espinha DC, Oliveira LR, Leite JR, Koenig HG. Spirituality and health in the curricula of medical schools in Brazil. BMC Med Educ. 2012;12(78):1-7. http://dx.doi.org/10.1186/1472-6920-12-78. PMid:22900476.

Mariotti LG, Lucchetti G, Dantas MF, Banin VB, Fumelli F, Padula NA. Spirituality and medicine: views and opinions of teachers in a Brazilian medical school. Med Teach. 2011;33(4):339-40. PMid:21591292.

Rasinski KA, Kalad YG, Yoon JD, Curlin FA. An assessment of US physicians’ training in religion, spirituality, and medicine. Med Teach. 2011;33(11):944-5. http://dx.doi.org/10.3109/0142159X.2011.588976. PMid:22022906.

Brasil. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Câmara de Educação Superior. Resolução CNE/CES 3/2014. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 23 jun. 2014. Seção 1, p. 8-11.

Smeke ELM. Espiritualidade e atenção primária à saúde: contribuições para a prática cotidina. In: Vasconcelos, E. M., organizador. Espiritualidade no trabalho em saúde. São Paulo: Hucitec; 2006.

Galanter M, Dermatis H, Bunt G, Williams C, Trujillo M, Steinke P. Assessment of spirituality and its relevance to addiction treatment. J Subst Abuse Treat. 2007;33(3):257-64. http://dx.doi.org/10.1016/j.jsat.2006.06.014. PMid:17574800


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


IJHE é uma Publicação do Programa de Pós-Graduação Ensino em Saúde na Amazônia, Belém, Pará, Brasil