A construção de projetos pedagógicos na formação de profissionais da saúde

Marta Quintanilha Gomes

Resumo


Introdução: O texto apresenta excerto de pesquisa realizada a partir da análise dos projetos pedagógicos dos Cursos de Especialização em Saúde da Família, promovidos pela Rede UNA-SUS. O objetivo é investigar os projetos pedagógicos na área da saúde analisando como foram construídos tais documentos, tendo como referências as orientações pedagógicas inerentes à construção de um projeto pedagógico. Desenvolvimento: O mote é compreender de que forma está sendo realizada a articulação das áreas da saúde e da educação na elaboração de projetos de curso. O trabalho de pesquisa ocorreu a partir da análise de oito projetos, acrescido de questionário respondido pelas coordenações pedagógicas. A abordagem metodológica é qualitativa utilizando pesquisa documental e entrevistas na coleta de dados. Este texto abordará as seguintes categorias: a organização dos projetos pedagógicos dos cursos; autorias e autores; e a coordenação pedagógica nos processos de formação. Considerações finais: Os resultados apontam para a coesão dos trabalhos em termos de justificativa e objetivos, no que tange à qualificação da formação dos profissionais para o trabalho no SUS. Indicam que há certa fragilização em alguns documentos em relação ao suporte teórico que baliza concepções de trabalho, mais especificamente na escolha metodológica e no processo de avaliação, ainda que os autores citados como parceiros teóricos pudessem apresentar apoio a tais concepções. Os projetos foram construídos por equipes, indicando um processo de elaboração colaborativa. Os cursos são coordenados, na grande maioria, por profissionais com aproximação à área da educação.


Palavras-chave


Projeto pedagógico, Formação profissional, Sistema Único de Saúde.

Texto completo:

PDF

Referências


Veiga IPA. Inovações e projeto político-pedagógico: uma relação regulatória ou emancipatória? Cad Cedes. 2003;23(61):267-81. http://dx.doi.org/10.1590/S0101-32622003006100002.

Libâneo JC, Oliveira JF, Toschi M. Educação escolar: políticas, estrutura e organização. 7. ed. São Paulo: Cortez; 2009.

Severino AJ. O diretor e o cotidiano da escola. In: Ideias. São Paulo: FDE; 1992.

Vasconcellos CS. Coordenação do trabalho pedagógico: do projeto político-pedagógico ao cotidiano da sala de aula. São Paulo: Libertad; 2002.

Brasil. Constituição da República Federativa do Brasil: 1988. Porto Alegre: Edição da Assembléia Legislativa do Estado do Rio Grande do Sul; 1991.

Brasil. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. LDB no 9394/1996 [citado em 2016 Maio 17]. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L9394.htm

Gandin D. Planejamento como prática educativa. São Paulo: Edições Loyola; 1998.

Garrido SL, Schlemmer E. Reflexões sobre o Projeto Político-Pedagógico para Educação a Distância (on line). TC. 2006;3:C1-073.

Bardin, L. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70; 1977.

Santos JC Fo, Sánchez Gamboa S. Pesquisa Educacional: quantidade-qualidade. 6. ed. São Paulo: Cortez; 2007. Coleção Questões de Nossa Época, 42.

Gonçalo CS, Barros NF. Entrevistas realizadas a distância no campo da pesquisa qualitativa em saúde. Cad Ter Ocup UFSCar. 2013;21(3):635-44.

Universidade Aberta do SUS – UNA-SUS. Profissionais de saúde [Internet]. 2016 [citado em 2016 Maio 17]. Disponível em: http://unasus.gov.br/page/o-que-fazemos/como-podemos-ajudar/trabalhadores-do-sus

Cunha MI, Marsico HL, Borges FA, Tavares P. Inovações pedagógicas na formação inicial de professores. In: Barboza Fernandes CM, Grillo M. Educação Superior: travessias e atravessamentos. Canoas: ULBRA; 2001.

Cunha MI. O professor universitário na transição de paradigmas. Araraquara: JM Editora; 1998.

Pimentel MG. O professor em construção. Campinas: Papirus; 1993.

André M. O papel da pesquisa na articulação entre saber e pratica docente. ln: Anais do 7o Encontro Nacional de Didática e Prática de Ensino; 1994; Goiânia. Goiânia: S.R.P.; 1994. p. 291-6.

Sobral FR, Campos CJG. Utilização de metodologia ativa no ensino e assistência de enfermagem na produção nacional: revisão integrativa. Rev Esc Enferm USP. 2012;46(1):208-18. PMid:22441286. http://dx.doi.org/10.1590/S0080-62342012000100028.

Veiga IPA. Projeto político-pedagógico da escola: uma construção possível. Campinas: Papirus; 1995.

Benavente A. As ciências da educação e a inovação das práticas educativas. In: Sociedade Portuguesa de Ciencias da Educação. Decisões nas políticas e práticas educativas. Porto: SPCE; 1992.

Bordenave JED. Alguns fatores pedagógicos. In: Grandi MT. Brasília: OPAS; 1983. Texto traduzido e adaptado do artigo ‘La Transferencia de Tecnología Apropiada al Pequeño Agricultor (Bordenave, J E D. Revista Interamericana de Educação de Adultos, v. 3, n. 1-2 – PRDE-OEA) para a Capacitação Pedagógica do Programa de Formação de Pessoal de Nível Médio em Saúde. Projeto Larga Escala.

Freire P. Educação: sonho possível. In: Brandão CR, editor. O educador: vida e morte. 2. ed. Rio de Janeiro: Graal; 1982.

Gandin D. Planejamento como prática educativa. 14. ed. São Paulo: Loyola; 2004.

Libâneo JC. Organização e de gestão da escola: teoria e prática. Goiânia: Alternativa; 2001.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


IJHE é uma Publicação do Programa de Pós-Graduação Ensino em Saúde na Amazônia, Belém, Pará, Brasil